Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

GameOver: Blog oficial

O blog oficial do GameOver. Participa!



Sexta-feira, 19.12.14

Dos jogos violentos à relação dos jogos com a violência

A semana foi marcada por um tema recorrente: a discussão sobre o impacto dos jogos violentos voltou a estar nas luzes da ribalta com toda a controvérsia originada por Hatred.

Entrou no Steam, saiu do Steam, voltou ao Steam. Pelo meio, vários argumentos contra, outros a favor, criticas cerradas à censura, aplausos a uma decisão que pode ser discutível – o ordenar do regresso do jogo ao serviço da Valve foi realmente um incentivar da criatividade ou uma prova de que o lucro monetário fala sempre mais alto?

Opiniões à parte, inclusive sobre o valor real da existência do jogo da Creative Destructions, a esta notícia juntou-se outra que mostra o espetro oposto e une dois elementos que jamais os defensores dos efeitos nefastos dos jogos poderiam querer ver juntos: é que, afinal, parece que há videojogos que podem ajudar precisamente…suspense pelo meio…psicopatas.

A investigação é de uma psicóloga de Yale e pode muito bem ser o primeiro passo numa nova forma de tratamento que permitirá controlar sintomas de forma mais eficiente do que os habituais métodos aplicados neste tipo de doentes.

Obviamente que, neste último caso, falamos de jogos especialmente criados para o efeito e não os títulos que enchem as prateleiras físicas e digitais dos vários retalhistas. Ainda assim, não deixa de ser curioso o paralelismo dos temas, numa semana que, quase a fechar o ano, volta a focar um tema que, por mais que o tempo passe, nunca deixa de ser inflamável.

Vanessa Vieira Dias

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Game Over às 17:17


2 comentários

De João Tiago a 19.01.2015 às 14:32

Se eu vir o Fast and Furious na televisão e depois me puser a acelerar com o carro na rua, a bater em todos, e a fazer manobras completamente impossíveis, a culpa é da televisão? Do filme?

Se vir o missão impossível e decidir ir fazer acrobacias, andar aos tiros, é culpa da televisão? Filme?

Ou se for como o tal rapazito há uns anos que pegou numa espada e matou os pais... A culpa será do final fantasy, só porque ele era fã?

Se for de religião X e decidir desatar aos tiros às pessoas, põr bombas, imolar-me, ou simplesmente começar uma guerra contra todos os que forem de religião diferente, é culpa da minha religião?

É tanto culpa do filme, televisão ou religião como aqui a culpa é dos videojogos.
Só alguém com um distúrbio muito forte, e predisposição a tal, é que se deixa influenciar a esse ponto.
Vejo o Fast and Furious, mas nunca excedi os limites de velocidade no meu carro. Jogo Painkiller, e nunca dei um tiro em ninguém, nem tal me passou pela cabeça ( só na imaginação ).
Não sou crente, mas conheço muçulmanos, por exemplo, que são do mais pacífico possível.
E acabei várias vezes o final fantasy, e os meus pais estão vivos e com saúde, obrigado.

Há pessoas com psiques mais fracas, sem duvida, e essas pessoas é que deviam ter cuidado ou ser afastadas de estímulos exteriores que lhes possam despoletar tais atitudes.

Toda essa atitude é graças a uma comunicação social que cada vez mais tem de criar notícias para vender, e pessoas que não têm mais nada com que se preocupar e criam bodes expiatórios. Cada um de nós é responsável pelas suas atitudes, e ninguém mais, muito menos um monte de polígonos num monitor.

De João Tiago a 19.01.2015 às 14:38

Na pior das hipóteses, pode-se dizer que um videojogo ajudaria muita gente a descarregar o stress diário, para que nunca chegasse a um ponto de ruptura que aí sim, se transformasse em violência.

Se querem banir por completo todo o tipo de violência e comportamentos menos correctos, comecem por apagar da história a Branca de Neve. Aquela madrasta/bruxa má era do piorio, com as maçãs envenenadas, e pedir ao caçador para matar a dita... E o principe? Cavalgadas em alta velocidade, fazer a corte a mulheres desconhecidas... E ela foi logo com o principe... que oferecida!
Pôs-se a viver sozinha na mesma casa com 7 homens.... Que conspurquice! Granda marota!
Ainda por cima, ela pôs-se a limpar-lhes a casa. Machismo! A destruir o valor da mulher!

Ui ui, o que isso daria pra falar...

Comentar post




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


calendário

Dezembro 2014

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Links

Mais Jogos no SAPO




GameOver Ir para o site GameOver